02 01

Lira, Juliano Holanda e Radiola Serra Alta

Lira, Juliano Holanda e Radiola Serra Alta

Das novidades que vêm por terra para o Porto Musical 2015, o mais importante encontro voltado para os profissionais da música no Brasil, com seminários, rodadas de negócios, mesas-redondas e shows, o cantor Lirinha e seu novo projeto é uma delas. Além do músico, o Porto aposta em novos nomes e anuncia também as atrações: Radiola Serra Alta e Juliano Holanda.

Lira é uma das figuras mais representativas pernambucanas do final da década de 1990 e início dos anos 2000. O idealizador do Cordel do Fogo Encantado, apresenta o show baseado em seu álbum de estreia homônimo, produzido por Pupillo (baterista do Nação Zumbi) contendo 12 faixas inéditas. Lira é a psicodelia elétrica construída através de guitarras, teclados, sintetizadores retrôs, percussão e bateria. Esta ruptura, no entanto, não suprime as referencias explicitadas pelo musico ao longo de sua carreira, que teve origem no teatro e na literatura de poetas e cantadores. Desse modo, pode-se dizer que nessa fase, Lirinha atinge um nível de excelência na elaboração das letras de suas canções de uma forma raramente vista em toda sua obra.

Lira foi destaque no jornal inglês "The Guardian", ficando entre as 30 melhores músicas do mundo e teve na rádio alemã Darmstadt um programa especial. Lira vem pro Porto com novidades do seu próximo álbum, que será lançado após o carnaval.

Juliano Holanda - Nascido em Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco, Juliano holanda é um dos nomes mais atuantes do cena musical do estado. São mais de 100 composições gravadas, participações em mais de 30 projetos e milhares de palcos pisados. Com seu trabalho solo, Juliano já se apresentou em diversos espaços e festivais como: a MIMO – Mostra Internacional de Música em Olinda, Festival de Inverno de Garanhuns e Festival de Literatura do Recife.

Juliano, em seu recente trabalho (Pra saber ser nuvem de cimento quando o céu for de concreto), uniu os timbres e texturas vivenciados ao longo dos anos de estrada. Da terra dos grandes mestres regionais, como Maestro Duda, Guedes Peixoto e Capitão Zuzinha; do som dos sinos das igrejas, cavalos marinhos e maracatus; do jazz, da Orquestra Contemporânea de Olinda (da qual é integrante) e da participação nos discos dos artistas: Geraldo Maia, Monica Feijó, Rabecado, Cascabulho, Gonzaga Leal, Zeh Rocha, Silvério Pessoa, Alessandra Leão, Academia da Berlinda, entre outros. Juliano Holanda vem pro Porto com todo seu arsenal de guitarra e poesia.

Batuques Binários - É a eletricidade a serviço dos caboclos. É o resultado de quando duas entidades sobrenaturais de Triunfo (Sertão pernambucano), perdem o medo da energia elétrica e criam o duo Radiola Serra Alta com seu "eletrococo moderno", que traça um diálogo da dupla direto da cultura popular com a música eletrônica.

Trajados de figuras tradicionais do Carnaval triunfense, a Veinha e o Careta, a dupla preserva a identidade em sigilo, com muita irreverência e energia. Utilizando-se da técnica da performance ao vivo (Live P.A), eles realizam espetáculos inusitados e surpreendentes, sempre em interação com o público. Os brincantes do Alto Sertão do Pajeú, em seu primeiro disco, "Computador de Ciço" produzido pelo paraibano Chico Correa, que já trabalhou ao lado de Chico César, Alessandra Leão e Dj Dolores, celebram as miscigenações brasileiras. Radiola Serra Alta é um componente tecnorgânico bastante instável e mutante, com capacidade singular de memória e processamento da música pernambucana.

As atividades do Porto Musical ocorrem no Bairro do Recife, área onde se encontra o Porto do Recife e o maior parque de tecnologia do Brasil, o Porto Digital. Sua programação é dividida em três locais: o Cine Teatro Apolo-Hermilo é onde ocorrem as conferências e palestras. Já, na Torre Malakoff, ficam as salas de imprensa e produção, além de espaços dedicados à reuniões e encontros. Os showcases, gratuitos, acontecem na Praça do Arsenal da Marinha e visam mostrar ao público as tendências musicais e os rumos que tomam os mercados brasileiro e internacional.